Pode, Folha?!

a cara de pau da folha com esse editorial.

que escrotaria, meu brasil.

vão cobrar Bolsonaro, vão.

nunca, jamais esqueço de que na entrevista para ser admitida na redação me perguntaram se eu era filiada ao PT.

tão absurdo quanto o teste de gravidez que me obrigaram a fazer antes de entrar em outro jornal, que por sinal ouvia nossas ligações telefônicas pra saber se eram pessoais.

jornalismo, meu deus.

A imprensa diz sem dizer

Entendem? É Bolsonaro quem “vai” nesta manchete. É ele quem age. Quem tem o corpo em porção maior na foto, com semblante entusiasmado, mas sereno. Lula se esforça pra acenar, esmagadinho na composição da imagem, inclinando-se, enquanto Bolsonaro está ereto, luminoso. Não é preciso pensar muito, nem mesmo ler o texto da manchete, para entender como o jornal vê o momento.

Engasgados na conjunção

Os textos jornalísticos de alguns portais existem por si, sem se importar com quem os lê.

A moda por lá é enfileirar a conjunção “que” em orações infinitamente subordinadas.

Imagino que emendar uma coisa na outra ajude a quem tenha pouco tempo pra escrever e publicar.

Porém, fica feio. A gente engasga de ler aos socos.

Já temos tantos problemas!