Na vigência pandemente

Acabo de comentar com uns amigos daqui como rio e choro o tempo todo durante a vigência pandemente de meu país, como tudo fotografo (embora isto faça sempre), e como tudo quero ser, o presente, o passado, e como vejo um futuro, quem sabe, engordando (sem ser triste) a cada dia, e como tudo quero amar. Há quem não me entenda, quem não me veja, nem agora, nem antes, muito menos na imagem do que será, não importa, não os vejo nem entendo tampouco, eu que vivo ao lado deles. Perdoem a enxurrada de fotos, de auto-imagens, de desconcertos neste fluxo demonstrativo de nossas vidas que eram uma antes e agora são outras. Perdoem-me a ausência de outros rostos, perdoem que seja o meu. É um processo de cura e entendimento, quem sabe, e espero que o aceitem os que me têm amizade, talvez só eles, viva eles!, e que tudo viva em nós.

Escolhas

leio poesia todo dia.
e mal percebo.
a diferença é que sob pandemia, depois de recorrer às estantes, as palavras que assimilo desses livros transformam-se em outras, mais ou menos vistas por mim como desabafos.
e o engraçado, agora, é que por este meu blog atraio queridos, desconhecidos, grandes poetas menores.
leio-os todos.
todos eles, donos de ao menos uma palavra nova, no lugar certo de suas aflições.
estou gostando.
adentrei um mundo novo graças à peste.
um paradoxo em busca de um autor.

Não me iludo e contudo

Todos esses raciocínios que vislumbram uma era mais humana pós-corona me levam a ter carinho por quem os faz, embora, na real, me pareçam iludidos, infundados.

Basta observar que no meio da pandemia, por exemplo, o que se vê é guerra internacional por máscaras e sequestro universal de respiradores por parte de quem detém o poder.

Por que tudo será tão melhor depois que a pandemia for embora, então?

Enfim, não custa crer que em nível global o sonolento desperte após um longo sofrimento.

O que eu sei é que nós, eu digo nós, os fudidos, sempre nos lembraremos das lições que tivemos. E, se sobrevivermos, vamos mandar batatas pra eles quando parecerem vencer.